19 novembro 2004

dous anos já

a lura Prestige no fundo do mar
Hoje fan-se dous anos desde que a lura gigante, fendeu em duas metades envenenando o mar.
Para que isso de “convém lembrar o passado para não repeti-lo” seja factível, convido aos cidadãos não esquecer nunca, que agachem bem os jornais e as imagens destes tempos negros en sítio seguro; não vaia ser o demo que dentro de vinte ou trinta anos, quando a memória seja débil, entremos numa hemeroteca ler os acontecimentos vividos nestes dias, e achemos assombrados que meado o mes novembro do ano dous mil e dous após Xesús Cristo, uma lura gigante saiu das fonduras abissais e atacou as costas galegas levando consigo donzelas das vilas marinheiras coma tributo de deus marinho, e foi amedrontada pelos afoutos marinheiros galegos depois de fera luita, deixando na fugida um regueiro de borra preta que denegriu água, praias e rochas, e enfermou peixes e aves, chegando a sua peçonha desde o norte de Portugal até a França.