26 julho 2006

purga pública (2/3)

quando falei de perda de fé e aborremento não culpava ao blogomilho; esses são sentimentos e sensações próprios, e não atacava a ningum; o certo é que levo quase dous meses com os ânimos débeis em geral, a causa verdadeira? pois... acho que à volta dum ano de ter retornado à galiza sinto que o 80% do tempo perdi-o em folganças estéreis, não me esforcei abondo e sinto remorsos por não te-lo feito, e odeio-me por isso; a questão é que quando estou assim não quero ver ninguém até ter passado a tormenta, e tudo me amola; também é certo que jamais fui muito sociável, e sendo neno era muito rabudo e de génio volátil, e quando andava anojado podiam pagar justos por pecadores; eis este caso, acho. já crescido fiz por arrumar esta eiva do meu carácter, e à fé que quase o tenho domesticado, mas o demo que levo dentro às veces sai.
quando disse porque no seu momento fizeram-me sócio sem eu o pedir... (as palavras menos ajeitadas de todas aquelas) não quis ser desprezador, nen desagradecido, não; a citação, a fio, da conhecida frase cómica de groucho marx "eu não frequento clubes que me aceitem como sócio" acho que esclarecia a minha intención de fazer brincadeira com isso e não desprezo. jamais poderia fazer desprezo disso porque quando há mais de dois anos, vivindo eu en madrid, criei o ictioscopiofabuloso (germe disto) e aquilo não era sequer um blog senão um sítio pessoal que trabalhava parecido, o feito de me ter engadido à lista da blogaliza, sendo eu emigrado, encheu-me de ledicia e gozo, era um jeito de estar mais perto da terra e de reconciliar-me com ela, é por isso que eu adorei estar no blogomilho, e quando regressei à galiza fiz por ser mais participativo até onde eu puder. mas após estes meses comprendi que o que dou ao grupo é mui pouco, não sei cousa nenguma de como funcionam por dentro os sítios, não se pode contar comigo quando algum dos pontos de encontro (chuza, blogaliza...) precisam ajuda, ou arrumar, ou modificar algo... não são muito útil acho... se calhar é por este sentimento de tristeza que levo enriba tantas semanas que o vejo assim, não sei... e acima há coisas no blogomilho das que são algo dissidente, não nego, e por vezes olho pequenas “luitas internas”, e isto tudo fai-me custoso seguir sendo “activo”, por isso o deletear-me, por sentir-me deslocado. e deletear-me não é desligadura total, não, quero seguir mantendo contacto cos blogueiros amigos e cos que sigam chegando, mas um a um, não em grupo, agora não, talvez passados uns meses igual sim, mas não agora. (a continuar)

Sem comentários:

Enviar um comentário