13 julho 2008

areia sonora 2.0

crise
noutronte foi o meu aniversário e se calhar, também, começou a fim do mundo; não deste mundo, nem do meu mundo, nem de nenhum mundo em concreto; há coisas que chegam assim, de vagar, sem aviso, sem vê-lo chegar... outras, por contra, chegam súbitas, como um estralo; por vezes, a velocidade é só coisa do observador.

imagino a soledade sentado diante do televisor, comendo sopa, aos poucos... ou esperando no sofá desmazelado, ou estropiado, que diria minha mãe; saltando de canal em canal, sem apenas parar, numa cadeia sem fim, até tarde, até muito tarde, sem querer ir dormir, tentando adiar o dia seguinte.

estou em crise.
crise s. f. momento perigoso ou decisivo, situação difícil; alteração para melhor ou para pior no curso de uma doença.
mais decisivo que perigoso; tempo de mudanças uma outra vez.

estes dias fez três anos desde que retornei à terrinha, o saldo é positivo mas compre finar o mundo e fazer um novo, recompor esta morada, recomeçar esta vida de caos sem fim; mete-lo tudo em caixas, ajeita-las como no tetris (tetris! tetris! tetris!) e ir borrando etapas.

play save

músicas: (background) dergar. summer; azevedo silva. à deriva

actualização: desviei o rss do podcast cara feedburner, deste jeito, se alguma vez mudo a hospedagem para os episódios não tereis que andar vós a mudar nada; por tanto, se quereis agregar as areias sonoras aos vossos favoritos eis o novo rss: http://feeds2.feedburner.com/areiassonoras.
também, se vos praz, podeis ir votar por ele no European Podcast-Award, ou por outros podcasteiros galegos que bem o merecem e também são candidatos. vota por eles!!

07 julho 2008

rascunho#63

serea sem um braço
ía bem tempo que não tinha oportunidade no choio de fazer rascunhos, eís.
sim, sei, falta um braço.
hacía mucho que no tenía oportunidad de hacer esbozos en el trabajo, ahí la muestra.
sí, lo sé, le falta un brazo.