Amosando publicacións coa etiqueta blogomilho. Amosar todas as publicacións
Amosando publicacións coa etiqueta blogomilho. Amosar todas as publicacións

17 xuño 2008

queres um kara.o.ke?

se queres conseguir um kara.o.ke, o último disco de projecto mourente, assinado pelo artista, só tes que responder uma questão. se queres saber mais visita um dos meus outros tobos na rede: o c'mmons baby!

16 maio 2008

nova web da agpi

 nova web da agpi
a agpi (asociación galega de profesionais da ilustración) encetou hoje a sua nova web; cinco anos lutando por dignificar o ofício do lápis. galerias mais amplas e com imagens mais grandes e um buscador de ilustradores por categorias o mais destacado.
o desenho é do amigo óscar otero (um finaço)
la agpi (asociación galega de profesionais da ilustración) abrió hoy su nueva web; cinco anos luchando por dignificar el oficio de los lápices. galerías más amplias y con imágenes más grandes y un buscador de ilustradores por categorías lo más destacado.
el diseño es del amigo óscar otero (un crack)

13 maio 2008

silêncios carregados de ouveios

o olhar do mandril
quando um cala não sempre é por não ter que dizer; agora sou radioceánico, estou a trabalhar a réu no choio, ando a pensar en mudanças, botei uma mão no falangulho do proxecto identidade, preparei a minha galeria de imagens para o encete da nova web da agpi... e mais estive rascunhando focinhos que cedo hão ouvear na rede para disfrute vosso.
e tudo o que ainda ficar por fazer...

20 abril 2008

projecto identidade

projecto identidade
já se pode baixar em .pdf nA Regueifa, ou se queres merca-lo para apalpar em blurb, ou mesmo escuita-lo em falangulho; muitas das culpas são dela.
ya se puede descargar en .pdf en A Regueifa, o si quieres comprarlo para tocarlo en blurb, o incluso escucharlo en podcast; mucha de la culpa es de ella.

12 abril 2008

rascunho #62

crocodilo
rascunho feito para aquecer a mão para pagar uma dívida.
esbozo hecho para calentar la mano para pagar una deuda.

15 marzo 2008

a bandeira lavandeira II

bandeira lavandeira
aló pelo mês de novembro, o suso deconstruiu um “salva-unhas” em bandeira do brasil; eu gostei tanto da ideia que sabendo da existência dum estropalho coas cores da galiza não pude evitar plagiar ao companheiro do morraço; tudo o mérito é dele.

13 febreiro 2008

escolma baby!

escolma baby!
passados os sorteios todos da blogoesmorga (mas não blogomorgue) que foi apocalipse pequena / beliscos do porco, deito num .zip (89.53 Mb) o compilado de 27 canções sob licenças copyleft para todos vós; mais informação no blog do c'mmons baby!, que em nada vai ser feito em galego.
podeis descarrega-lo aquí.

05 febreiro 2008

quatro anos não é nada

quatro anos não  é nada
tinha escritas duas folhas enteiras resumindo estes quatro anos de presencia na rede com sítio próprio, porem era tão aborrido....
num princípio foi ictioscópio (o caderno do ictioscópio antes de registar o dominio), faz agora quatro anos; depois, grelou e esgaçou em home de area (em blogs.ya.com) e daí saiu outro esgalho: fabuloseando!!, de onde saíram os falangulhos, podfabs! o primeiro; e de homedareia (já em blogger.com) nasceu a vida carvão, e as areias sonoras (outro falangulho); e então, enlearon-me para fazer podgalego.org; e depois cansei de podfabs! e gomou c'mmons baby!, e assim é que está a coisa hoje...
play save
música: sonekka. falando sozinho

e de agasalho/presente de aniversário, uma escolma de vida carvão em .pdf (7.65 Mb) aquí.

03 xaneiro 2008

areia sonora 1.8

desenhando circunferências

não existe o princípio e a fim, a não ser como convenção imaginada pelo ser humano para tentar compreender a existência reduzindo-a ao seu tamanho, à sua escala.
e o homem não entende que o mundo, o universo tudo, possa estar em nenhures e algures a um tempo; talvez a resposta esteja em que não está, senão que é.
feliz 2008, ano da anha surda.

coa colaboração especial de zimmer103.

play save
música: anímic. el desembre congelat.

aproveito esta areia sonora para dar aviso de que o podgalego.org reagiu co aninovo;
e mais também que em novembro encetei outro falangulho, em castelhano (pelo de agora) no que falo de músicas sob licenças copyleft, o c'mmons baby!.

28 novembro 2007

areia sonora 1.7

desenhando circunferências

Oito (encarga da lua neghra)
cada oito está feito com duas circunferências, isto é, quatro oitos fazem oito circunferências.
afora o vento venta.
como são os franceses que para dizer oitenta dizem quatro vezes vinte.
afora o vento venta forte do norte, e o cão, debaixo da cama, venta tronada.
play save
música: yamamoto: bedtime story + columpio.

10 abril 2007

areia sonora 1.4

mmulher
alá atrás perguntaram-me e neguei, se mo perguntassem agora, não poderia nega-lo; ou galinha, ou galo, ou galinha...
isto não é um meme
o texto contido nesta areia sonora é uma adaptação livre do que besbellinha me pediu sonorizar; está dedicado a X e mais arrais, as duas pessoas que me convidaram a continuar um meme que educadamente refuguei. sirva isto como compensação.
play save
música:
stealing orchestra. you
are my thrill.
dana hilliot. beds.

18 decembro 2006

opíparas ceias

gula
vou ver se retomo aquele costume de subir algo todos os dias que esteja na casa, ainda aproveitando desenhos atrasados; hoje aproveito para fazer um aviso da ceia de confraternidade que andam argalhando desde chuza! eu não sei se irei, mas...

13 agosto 2006

podcasteiros galegos

criou-se um foro para artelhar um "portal-diretório" de podcasts em galego, apuntai-vos e colaborade. está acá.

31 xullo 2006

post do após

confesso que o passei muito bem, mais do que o meu ânimo revirado presumia, e se calhar mesmo recuo e retiro o de não ir a mais destes eventos, já se verá... o certo é que só ponho isto para agradecer ao amigo inblogsível o mágico agasalho, e subir a pequena gravação que fiz de (esse cantante brasileiro do que semelho ser o único que lembra o nome) Fredy Fevereiro cantando e tocando o violão no Bonaval, o som é muito péssimo, sinto-o, mas o meu reprodutor de mp3 é o que dá. Podeis baixa-la .

27 xullo 2006

purga pública (e 3/3)

é certo, poderia ir esmorecendo devagar a minha presencia sem dizer coisa, simplesmente esvaecendo calado, sem explicações não necessárias, sei-no, mas considero norma essencial de educação despedir-se quando um marcha dum lugar, e dizer não menos que: marcho que tenho que marchar.
se calhar, toda esta longa purga estava de sobra, não sei, certo é que ningum fez queixa (nem pública nem privada) pelo post, mas eu senti a obriga de faze-la, de esclarecer; há vezes nas que um significante turvo deturpa o significado da mensagem, e cumpre limpar a casa.
e mais nada, homedareia retoma o seu rumo longe, e livre já, de questões pessoais-emocionais... desculpas e obrigado.

26 xullo 2006

purga pública (2/3)

quando falei de perda de fé e aborremento não culpava ao blogomilho; esses são sentimentos e sensações próprios, e não atacava a ningum; o certo é que levo quase dous meses com os ânimos débeis em geral, a causa verdadeira? pois... acho que à volta dum ano de ter retornado à galiza sinto que o 80% do tempo perdi-o em folganças estéreis, não me esforcei abondo e sinto remorsos por não te-lo feito, e odeio-me por isso; a questão é que quando estou assim não quero ver ninguém até ter passado a tormenta, e tudo me amola; também é certo que jamais fui muito sociável, e sendo neno era muito rabudo e de génio volátil, e quando andava anojado podiam pagar justos por pecadores; eis este caso, acho. já crescido fiz por arrumar esta eiva do meu carácter, e à fé que quase o tenho domesticado, mas o demo que levo dentro às veces sai.
quando disse porque no seu momento fizeram-me sócio sem eu o pedir... (as palavras menos ajeitadas de todas aquelas) não quis ser desprezador, nen desagradecido, não; a citação, a fio, da conhecida frase cómica de groucho marx "eu não frequento clubes que me aceitem como sócio" acho que esclarecia a minha intención de fazer brincadeira com isso e não desprezo. jamais poderia fazer desprezo disso porque quando há mais de dois anos, vivindo eu en madrid, criei o ictioscopiofabuloso (germe disto) e aquilo não era sequer um blog senão um sítio pessoal que trabalhava parecido, o feito de me ter engadido à lista da blogaliza, sendo eu emigrado, encheu-me de ledicia e gozo, era um jeito de estar mais perto da terra e de reconciliar-me com ela, é por isso que eu adorei estar no blogomilho, e quando regressei à galiza fiz por ser mais participativo até onde eu puder. mas após estes meses comprendi que o que dou ao grupo é mui pouco, não sei cousa nenguma de como funcionam por dentro os sítios, não se pode contar comigo quando algum dos pontos de encontro (chuza, blogaliza...) precisam ajuda, ou arrumar, ou modificar algo... não são muito útil acho... se calhar é por este sentimento de tristeza que levo enriba tantas semanas que o vejo assim, não sei... e acima há coisas no blogomilho das que são algo dissidente, não nego, e por vezes olho pequenas “luitas internas”, e isto tudo fai-me custoso seguir sendo “activo”, por isso o deletear-me, por sentir-me deslocado. e deletear-me não é desligadura total, não, quero seguir mantendo contacto cos blogueiros amigos e cos que sigam chegando, mas um a um, não em grupo, agora não, talvez passados uns meses igual sim, mas não agora. (a continuar)

purga pública (1/3)

provérbio: o homem é dono dos seus silêncios, mas escravo das suas palavras.
- foi sem querer...
- sem querer mata-se a um homem.
purga. do Lat. purgare v. tr., tornar puro; limpar; purificar; desembaraçar os intestinos; administrar uma purga; expiar; livrar do que é nocivo; v. int., expelir pus ou maus humores; v. refl., tomar um purgante.
haraquiriNos dias engrunhados não me amo; nos dias engrunhados digo cousas con palavras aguilhoadas, nos dias esfolados son muito repunante dediós, mais que a cotio. após, os pruridos mortifican-me dias mais dias; e engrunho mais, e esfolo mais, e somente quero chorar, mas não dão saído bágoas; e somente quero deitarme estropeado e esmorecer.
sou assim, não quereria, mas sou, é o que há... se calhar um dia aprendo a amar-me e sou feliz, oxalá. desculpai-me.
uns dez dias há, uma amiga disse-me que fiz mal escrevendo o deleteando-me, que semelhava ofensivo para o blogomilho... tinha razão, mas como não foi esse o meu propósito, fiz uma pequena modificação no mesmo momento.
aliás, levo cismando no asunto todos estes dias, escolhi mal as palavras, muito mal, não devi escrever aquilo, não, não, não devi escreve-lo, não desse jeito, não com essas palavras que me escravizaram... por isso resolvi fazer esta purga pública.
não sei se cheguei ofender alguem (poucos chegariam ler aquilo antes de muda-lo) mas no coração sinto a certeza de que sim ofendi; e ainda não chegando ter ofendido, cumpre uma explicação do verdadeiro sentido daquele post, pois diz-que rectificar é cousa sábia. (a continuar).